Novidades do PIPA

  • Entrevistas com indicados | Assista aos três novos vídeos exclusivos lançados esta semana

    171

    Lançamos esta semana três vídeos novos com entrevistas exclusivas concedidas por artistas indicados para o Prêmio. Arthur Scovino fala de sua obra que se manifesta principalmente através de performance e fotografia, e conta sobre uma série de performance pensada para ser feita em borboletários. Gisele Camargo fala de seu recente trabalho com colagens – que desenvolve em paralelo ao seu trabalho de pintura – em que utiliza fotografias e cadernos antigos. Já Juan Parada, indicado este ano pela primeira vez, fala da sua coleção de suculentas e do seu trabalho com plantas e cerâmica “é uma apreensão do que acontece no natural, só que eu encapsulo isso naquele objeto que eu criei e viro de ponta cabeça”. Assista às entrevistas.

    ...leia mais
  • Entrevista com artistas indicados | Conheça Juan Parada

    144

    Indicado ao PIPA este ano pela primeira vez, Juan Parada trabalha com instalações, esculturas, intervenções urbanas e inserções espaciais. O artista desenvolve pesquisas sobre tridimensionalidade, relações de tempo-espaço e diálogos arquitetônicos. Nesta entrevista – concedida com exclusividade para o PIPA – Parada fala da sua coleção de suculentas, do seu trabalho com plantas e cerâmica “é uma apreensão do que acontece no natural, só que eu encapsulo isso naquele objeto que eu criei e viro de ponta cabeça.” Assista ao vídeo, saiba mais e veja o ateliê do artista.

    ...leia mais
  • Arthur Scovino | Entrevistas com artistas indicados

    35

    Natural de São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro, Arthur Scovino – que foi indicado ao PIPA pela primeira vez em 2014 e volta a ser indicado este ano – se mudou para Salvador, na Bahia, em 2009 para “pesquisar e viver arte intensamente, como uma residência artística na Bahia, só que real, sem planos para voltar ao Rio de Janeiro”. Essa história o artista contou na entrevista de 2014. Agora, em sua segunda entrevista para o Prêmio, Scovino fala da continuidade de sua obra, que se manifesta principalmente através de performance e fotografia. O artista – que cria borboletas em sua casa – conta sobre seus estudos e sobre uma série de performance pensada para ser feita em borboletários “É um lugar mágico (…) as borboletas estão voando à sua volta, o tempo todo, são várias espécies reunidas ali, e um público que não é um público de arte contemporânea”. Assista aos dois vídeos.

    ...leia mais
  • Novo vídeo com artista indicado em 2015 | Gisele Camargo

    coluna-mar_ed

    A carioca Gisele Camargo foi indicada ao PIPA em 2012, 2013, 2014 e 2015. Esta é a terceira entrevista exclusiva que a artista concede ao Prêmio. Nela, Gisele fala de seu recente trabalho com colagens – que desenvolve em paralelo ao seu trabalho com pintura – em que utiliza fotografias e cadernos antigos. Fazendo quatro colagens por dia, durante um ano, a artista pretende um dia expor as 1460 que serão resultado desse processo, sendo cada colagem relacionada a uma frase. Veja a entrevista e acesse a página da artista para saber mais sobre sua carreira e obra.

    ...leia mais
  • Membro do Comitê de Indicação na 1ª edição do PIPA, Luiz Braga volta como artista indicado em 2015

    “Banhista”, 1996, pigmento sobre papel fotográfico de algodão, 100x100 cm

    Luiz Braga iniciou na fotografia aos 11 anos. Até 1981, fotografava principalmente em preto e branco. Após essa fase, descobre as cores vibrantes da visualidade popular amazônica e, convidado pela Funarte, viaja pela região aprofundando seu trabalho. Sua abordagem ímpar passa ao largo das visões estereotipadas e superficiais sobre a Amazônia e junto com o domínio da cor o transformaram em referência na fotografia brasileira contemporânea. Em 2009, foi um dos representantes do Brasil na 53ª Bienal de Veneza, na Itália. Membro do Comitê de Indicação – órgão responsável por indicar artistas ao PIPA – logo na primeira edição do Prêmio, Braga participa agora como artista indicado. Acesse sua página recém-criada para saber mais sobre a carreira e ver outras obras do artista.

    ...leia mais
  • Após ser personagem de vídeo espacial gravado pelo PIPA em 2012, Joana Cesar participa do Prêmio como artista indicada em 2015

    JC-0039-Joana-Cesar-Sem-Titulo

    Joana Cesar cursou filosofia, jornalismo e cinema, fazendo, paralelamente, diversos cursos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro. O desenvolvimento de seu trabalho em ateliê a levou, em 2003, para as ruas da cidade, onde passa a usar muros, calçadas, postes e viadutos como suporte para sua escrita em código, inventada na infância. Em 2012, Joana foi convidada a dar depoimento sobre seu trabalho para o site do PIPA. O vídeo – da série de especial do Prêmio – contava como a artista usava os muros da cidade como um diário secreto, repleto de histórias íntimas, e sobre como seu trabalho foi afetado depois do código ser descoberto. Este ano Joana foi indicada e concorre ao PIPA pela primeira vez. Sua página acaba de ser criada com imagens de suas obras e uma biografia sobre sua carreira. Assista ao vídeo e acesse a página da artista.

    ...leia mais
Mais Novidades do PIPA...

Agenda da Semana

  • Programação de 23 a 29 de maio

    Esta semana o Rio de Janeiro recebe a abertura da nova individual de Afonso Tostes, intitulada “Das Amarras”. Ainda na capital carioca estes são os últimos dias para visitar “Tombo”, mostra individual de Rodrigo Braga. Em São Paulo, neste final de semana se encerram as mostras “Eu quero ver”, individual de Ivan Grilo, e “Akakor”, coletiva com Felipe Cohen e Marcius Galan. Na Suécia Carla Zaccagnini realiza uma conversa em torno do livro “Brasil: País do Futuro”, de Stefan Zweig. Acesse a agenda, confira os eventos ligados aos artistas indicados ao PIPA, ao MAM-Rio e demais envolvidos com o Prêmio, que estão acontecendo ao redor do Brasil e do mundo, e programe sua semana.


Circuito

  • “Coquetel” reintroduz centro cultural do Rio de Janeiro no circuito de arte contemporânea

    (Rio de Janeiro, RJ) O local em questão já foi cenário de trabalhos de artistas como Marcos Chaves, Ana Miguel, Claudia Bakker e Renato Bezerra de Melo. Agora se torna palco de instalações de artistas emergentes. O grupo de artistas escolhidos para o projeto enfatiza a variedade de mídias e estratégias usadas na arte contemporânea ― objeto, escultura, fotografia, apropriações. Coquetel traz para o público uma amostragem da diversidade e da maleabilidade com as quais a arte de hoje trabalha, não se intimidando diante de diferentes espaços e situações, mas criando a partir de diversos contextos e suas particularidades.

  • Em cartaz | “O Fim da Matéria”, de Damián Ortega

    (Rio de Janeiro, RJ) A exposição será uma grande instalação inédita no salão monumental. Um grande cubo de isopor de cerca de 6 m, será transformado durante o período da exposição por um grupo de escultores anônimos brasileiros que originalmente trabalham para o carnaval. Todos os dias eles irão retirar pedaços deste cubo para fazer esculturas que juntas funcionarão como uma espécie de inventário da escultura. Damián Ortega transita entre suportes variados, discutindo os limites da criação artística ao subverter os significados e funções de objetos cotidianos como tijolos, cadeiras, relógios ou carros. O artista altera, decompõe e transforma os objetos, revelando seus componentes implícitos e simbólicos e criando formas híbridas.

  • Instalação “Círios”, de Wagner Malta Tavares, segue em cartaz

    (São Paulo, SP) “Círios” consiste numa espécie de régua confeccionada com faixas de fita adesiva eletrificada ao longo de 15 metros da parede do corredor. Distantes um metro umas das outras, lâmpadas incandescentes respondem à presença ou ausência de pessoas. Ao detectar a passagem do visitante, um sensor de movimento acende todas as luzes do corredor e, à medida que alguém passa por sua extensão, sensores individuais apagam cada uma das lâmpadas, criando uma linha do tempo que evidencia o que já foi vivido e o que virá pela frente.

  • Camila Sposati, Fernando Lindote, Julio Leite, Pablo Lobato, Rommulo Vieira Conceição e Tony Camargo apresentam trabalhos em “Aquisições Recentes”

    (Porto Alegre, RS) O Museu de Arte do Rio Grande do Sul é uma das mais importantes instituições culturais do Estado. O acervo constitui um patrimônio público, com este objetivo, as principais ações do museu é adquirir obras, preservá-las e promovê-las para exibi-las ao público. A partir disso, surge a mostra “Aquisições Recentes”. Percorrendo o espaço expositivo, o visitante poderá contemplar tanto obras de artistas de renome quanto, e principalmente, trabalhos de jovens artistas que estão se destacando no campo das artes visuais. São 56 obras de 54 artistas nas mais variadas técnicas e de diferentes períodos da arte, permeando o clássico figurativo e o contemporâneo.

  • Hoje | Programação de performances e conversa em torno da “Encruzilhada”

    (Rio de Janeiro, RJ) As obras apresentadas estão organizadas em torno de seis núcleos que tratam do espaço físico da encruzilhada – onde acontecem as manifestações políticas, o carnaval, o flerte, o movimento de trânsito e a macumba, e também das situações em que se faz imperativa uma decisão. Hoje, uma programação especial de performances acontece durante todo dia. Uma conversa com os participantes da Agência Transitiva, espaço-veículo para ações e estudos não-convencionais em arte, política e história das ideias, também acontece.

Mais Circuito...